Aprenda a conservar convenientemente o carro

Conduzir com atenção não é unicamente dirigir de maneira segura; é inclusive em relação de como cuidar satisfatoriamente do seu carro.
Por exemplo, você não deve sair cantando pneus e conduzir em velocidade excessiva. Isto causa deterioração de seu motor, do sistema de direção e dos pneus, especialmente no tempo em que estiver fazendo demasiado frio ou calor e vai gerar manutenções mais constantes.
Ao invés disso, pise no acelerador mais lentamente, respeite os limites de velocidade e previna-se dos buracos a fim de manter o seu veículo em excelente estado.
Essas e outras dicas auxiliam a conservar melhor o automóvel, continue lendo para entender mais sobre a conservação do carro:

Faça um ajuste do motor vez ou outra

motor-do-carro Nos automóveis mais atuais, a ajustagem de fato envolve novos filtros de ar e de combustível e alterar as velas e os cabos, e também limpar o conjunto do acelerador e os bicos dos injetores de combustível; completar também o nível do fluído de transmissão.
É imprescindível ler o seu manual do proprietário com finalidade de descobrir com que frequência.

Execute uma aferição da correia dentada

A correia dentada estabelece a sincronização do eixo de comando de válvulas e o virabrequim. Ela usualmente precisa ser trocada a cada 60.000 a 105.000 milhas (por mais ou menos 95.000 a 170.000 km), todavia não carece esperar até que o seu automóvel atinja necessariamente essa quilometragem.
Faça uma análise da correia dentada frequentemente, com a finalidade de apurar se ela ainda está em boas condições. Não espere que ela se desgaste. Na ocasião em que ela romper, o motor para de funcionar.

Alinhe os seus pneus

Você deve analisar o alinhamento das suas rodas a cada 30.000 milhas (por volta de 50.000 quilômetros), toda vez que você substituir componentes do conjunto de direção ou após comprar novos pneus. Caso não faça isso, a sua direção ficará bastante afetada. A direção vai ficar mais pesada e vai puxar para um lado. Os seus pneus irão se desgastar de forma desigual.

Realize prevenção da sua bateria

A bateria do seu automóvel pode não necessitar de tanta atenção como outrora, no entanto, você ainda necessita cuidar bem dela.
Conserve-a sem sujeira, em especial os terminais, a fim de ter certeza de que existe um contato ideal com os cabos.
Aplique uma fina camada de gordura (vaselina, por exemplo) nos terminais (polos) com o objetivo de protegê-los da oxidação. Vistorie a bateria a fim de aferir se ela não dispõe de dilatações ou rachaduras. Eventualmente, se tiver, ela tem necessidade de ser alterada.

Nunca se esqueça do filtro de ar

Recorde-se de trocar o filtro de ar a cada 10 ou 15.000 milhas (em volta de 16.600 a 24.000 quilômetros) com a finalidade de evitar que impureza e todos os tipos de poluentes entrem no seu motor. Ainda por cima, um filtro de ar sujo vai reduzir a economia de combustível do seu automóvel.

Troque esporadicamente o óleo

oleo-do-carro O óleo do motor é bastante importante: ele age na forma de lubrificante e ajuda a resfriar o cabeçote do seu motor.
O óleo, obrigatoriamente, fica sujo e perde a tenacidade, justificativa pela qual ele tem necessidade de ser substituído periodicamente.
Se você obteve o seu automóvel nos últimos 7 anos, então você não precisa seguir a recomendação de trocá-lo a cada 3.000 milhas (por cerca de 5.000 km).
Olhe nesse caso no manual do proprietário para seguir as instruções.

Faça a checagem regular da pressão dos pneus

Não confie na pressão dos pneus. Verifique-a regularmente.
Se você mantiver a pressão apropriada dos pneus, eles irão durar por muito tempo e você evitará que eles se gastem de maneira desigual. A pressão correta dos pneus irá também aumentar a economia de combustível do seu automóvel.

Sistema elétrico dos veículos precisa de constante inspeção

As panes elétricas são as causas de maior frequência de problemas no carro. Isso ocorre em consequência do uso em excesso do veículo, como engarrafamentos de grande extensão em estradas.
O aconselhado é que a revisão de todo o sistema seja feita de seis em seis meses por conta do uso em grande quantidade dos veículos.
Com o corre corre ao longo do dia, acaba sendo complicado realizar esta análise em uma boa frequência, deve-se então fazer a vistoria sempre que a bateria concluir um período, que de modo geral tem duração de 2 anos. O alternador é elemento coringa nesse sistema.
É ele que abastece os componentes eletrônicos na ocasião em que o motor está em atividade. Além disso, gera a energia que é usada na recarga da bateria.
Em consequência, durante o tempo que o problema se localiza nessa peça, a recarga da bateria fica danificada, abalando inteiramente o sistema.

Andar com o carro com baixa quantidade de combustível tem probabilidade de ocasionar avarias a ele

pouco-combustivel A bomba de combustível fica avariada com o pouco combustível. Ficando dentro do próprio tanque, o líquido do combustível é utilizado por ela como meio de resfriamento.
Uma vez com o tanque na reserva, a bomba não terá fluído refrigerante suficiente para resfriar e pode vir a ocasionar um sobreaquecimento. Outro problema que pode ser causado por conta da pouca quantidade de combustível no tanque é a presença de impurezas na bomba.
As impurezas do combustível ficam depositadas no interior do tanque, por meio da decantação. Uma vez utilizado o combustível da parte final da guarnição, as impurezas tem a probabilidade de virem junto e serem enviadas para o motor, acarretando falhas. Para evitar sofrimento, imagine que a quantidade de ¼ é o limite. Abasteça no momento em que o ponteiro apontar essa quantidade e evite dores de cabeça.

Escapamento furado tem a possibilidade de ocasionar problemas e acréscimo nos gastos

Além de mais barulho aos seus ouvidos e para os outros motoristas, rodar com o automóvel com escapamento furado tem a possibilidade de ocasionar falhas e inclusive acréscimo do consumo de combustível. O funcionamento dos motores contemporâneos sofrem influência da conhecida taxa de contra-pressão dos gases, ou seja, o a quantidade de gases que são liberados pelo sistema de exaustão dos automóveis. Se alguma peça do escapamento encontra-se danificada, seja o encanamento ou os silenciadores, ocorre uma variação nessa taxa. A mudança tem a possibilidade de provocar alternâncias nos motores, em especial falhas quando encontrar-se em marcha lenta, acabando por resultar em mais consumo de combustível. O que mais estraga é o silenciador posterior por ficar afastado do calor do motor e, por consequência disso, retém maior quantidade de água.

Deixe uma resposta